Greve de caminhoneiros chega ao 5º dia e causa reflexos pelo país

Pelo 5º dia seguido, caminhoneiros fazem manifestações nos 26 estados e no Distrito Federal. Os atos desta sexta-feira (25) dão continuidade à mobilização contra a disparada do preço do diesel, que faz parte da política de preços da Petrobras em vigor desde julho de 2017.

Na noite de quinta-feira (24), o governo federal e representantes de caminhoneiros anunciaram proposta para suspender a greve por 15 dias.

Abaixo, o G1 lista as principais consequências e, logo depois, detalha os impactos em cada setor e nas regiões do país:

 - há redução nas frotas de ônibus em várias cidades,
 - cidades, inclusive capitais, decretaram calamidade pública e estado de emergência, como São Paulo;
 - faltam combustíveis, há filas nos postos; na Grande SP, Itapevi determinou que postos só vendam combustível para ambulâncias;
 - aeroportos de Brasília e Recife ficam sem combustível;
 - governo obtém 20 liminares contra obstrução de rodovias;
 - há racionamento de energia em nove cidades de Rondônia;
 - mais de dez universidades federais suspendem aulas.

Transporte
 - Redução do número de ônibus em circulação em várias cidades brasileiras
 - Aeroporto de Recife não tem mais combustível
 - Em Brasília, voos são cancelados
 - Acesso ao Porto de Santos permanece bloqueado
 - Travessia entre São Sebastião e Ilhabela opera apenas com uma balsa
 
Alimentos
 - No Vale do Paraíba (SP), preço do saco de 50 kg de batata subiu de R$ 60 para R$ 300
 - No RN, dos 120 caminhões esperados para abastecer o Ceasa, apenas 40 chegaram
 - Na Bahia, Ceasa tem abastecimento 20 vezes menor; preço da batata sobe 833%
 
Combustível
 - Postos da Grande SP não têm mais etanol e gasolina comum
 - Motorista fura fila para abastecer no DF, é repreendido e atropela homem
 - No MS, moradores estão comprando combustível na Venezuela e na Bolívia
 
Educação
 - OAB suspende prova da 2ª fase do Exame de Ordem que seria neste domingo
 - Mais de dez universidades federais suspenderam as aulas
 - Governo do DF suspendeu as aulas da rede pública de ensino
 - Cidades de Caruaru, Garanhuns e Taquaritinga do Norte (PE) suspenderam as aulas
 - No Sergipe, 40% das escolas da rede estadual suspenderam as aulas
 - No Amazonas, aulas foram suspensas em quase 500 escolas da rede municipal
 
 Fonte: g1.globo | 25/05/2018

Rua Valença, 3453 - Tabuleta - Teresinha - PI
86. 3222-6337   |   analise@analisecontabilidade.com.br
Desenvolvido pela TBrWeb
( XHTML / CSS )